Empreendedorismo

Como Abrir uma Empresa em 2020: O Passo a Passo Completo

Atualizado em 1 jul 2020

Chegou a hora de abrir a sua própria empresa. Você está pronto para este desafio e sabe o que você vai precisar?

Saiba que nós estamos ao seu lado – tanto que montamos este guia prático com tudo o que você precisa saber sobre como abrir uma empresa. E olha que legal: além de orientar você com o passo a passo, nós ainda abrimos a sua empresa de graça.

Passo a passo de como abrir uma empresa:

Na hora de abrir formalmente seu negócio, o passo a passo da emissão do seu CNPJ passará por sete etapas até que você tenha seu alvará em mãos e possa empreender 100% regularizado. Você vai precisar de alguma paciência, um bom contador te orientando e alguns documentos para protocolar na Junta Comercial do seu Estado e também na Prefeitura da sua cidade. Basicamente, os passos são estes:

  1. Que tipo de Empresa eu preciso abrir?
  2. O que é Natureza jurídica?
  3. Atividades que a empresa irá exercer (CNAE)
  4. Mas e os impostos?
  5. E a documentação para abrir minha empresa?
  6. Quanto custa abrir minha empresa?
  7. Quanto tempo leva para abrir uma empresa?
  8. Dicas valiosas para quem quer abrir uma empresa
  9. Erros que você não deve cometer na hora de abrir sua empresa
  10. Problemas comuns na hora de abrir empresa
  11. Dúvidas frequentes sobre como abrir uma empresa
  12. Hora de contar sua própria história!

Agora, vamos falar sobre cada uma dessas etapas, começando pela escolha do tipo de empresa, que basicamente é a definição da sua expectativa de faturamento, e se você terá ou não sócios no seu negócio. Vamos lá?

Que tipo de Empresa eu preciso abrir?

Existem três tipos de empresas que você pode escolher: MEI, ME e EPP. O MEI é uma primeira categoria, mais básica e com algumas limitações em relação a sócios, faturamento e funcionários. Já na ME, as possibilidades são bem maiores e dá para constituir o seu negócio de acordo com a sua necessidade. Vamos explicar a seguir os detalhes sobre cada tipo.

1. MEI – Microempreendedor Individual

O Microempreendedor Individual, famoso MEI, é um programa do Governo Federal criado para regularizar quem trabalha por conta própria. Pagando cerca de R$ 50,00/mês, você tem um CNPJ, contribui para o INSS, não é obrigado a emitir NF (mas pode, se precisar) e ainda não precisa ter um contador. Legal né? Nem tanto.

O problema é que o MEI é bem limitado, só permite algumas profissões e isso não inclui atividades intelectuais e profissões regulamentadas, por exemplo. Isso quer dizer que designers, publicitários, desenvolvedores, consultores, etc. não podem ser MEI.

Não pode ser MEI? Baixe já nosso guia e descubra o que fazer!

Além disso, o MEI não pode ter sócios, tem de faturar no máximo R$ 81.000,00/ano e pode ter no máximo um funcionário, ganhando o piso salarial.

2. ME – Microempresa

A opção de Microempresa (ME) entrega mais possibilidades: ter um ou mais sócios, faturar até R$ 360 mil/ano, poder escolher entre atividades que contemplam a grande maioria das empresas e emitir quantas notas quiser.

A diferença será o imposto que incidirá sobre faturamento. Para serviço, a alíquota inicial é de 4,5%. Também podem variar de acordo com o Fator R – uma nova regra para o regime do Simples Nacional.

A vantagem aqui é que você só paga impostos quanto fatura, diferente do MEI onde você precisa pagar a taxa mensalmente, mesmo sem faturar nada.

Como ME, seu negócio também pode fazer parte do Simples Nacional, um regime de tributação que unifica 8 impostos em uma única guia por mês, a DAS. Isso, de fato, simplifica a sua vida como empresário e facilita manter a regularidade da sua empresa.

Atenção: não confunda o Simples como um tipo de empresa. Muita gente costuma falar “preciso abrir um Simples”, mas na verdade você precisa abrir uma empresa que, em geral, pode ser enquadrada no Simples.

3. EPP – Empresa de Pequeno Porte

A Empresa de Pequeno Porte (EPP) é aquela que fatura entre R$ 360 mil e R$ 4,8 milhões por ano e na verdade é apenas um tipo de nomenclatura porque assim como uma ME ela também pode fazer parte do Simples Nacional e os impostos terão alíquotas distintas de acordo com as faixas de faturamento.

CTA Abertura V2 G branco B

O que é Natureza jurídica?

Após escolher o tipo de empresa que você quer abrir, é hora de definir o regime jurídico do seu negócio, que nada mais é do que a forma de constituição da empresa: quem são os sócios, a participação de cada um na empresa e o capital social.

Essas informações vão constar no contrato social, documento que normalmente é elaborado pelo contador com as informações fornecidas por você.

Os três principais regimes jurídicos que a sua empresa pode ser constituída são:

EI – Empresário Individual

Nesta opção, você é o titular da empresa, exercendo uma atividade empresarial sob a sua pessoa física. Isso significa que seu patrimônio pessoal pode ficar comprometido em caso de endividamento da empresa (bate na madeira!). Então é bom pensar bem! O capital social comumente utilizado é de R$ 1.000,00, ou seja, o valor que a sua empresa precisa para iniciar suas atividades.

EIRELI – Empresa Individual de Responsabilidade Limitada

Na EIRELI, você também é o único sócio, mas não responde com seus bens pelas dívidas da empresa. Nesse caso, o capital social mínimo é de R$ 99.800,00 em bens ou em dinheiro. Mas atenção: em caso de dívidas da empresa, o valor deverá estar disponível para quitação.

LTDA – Sociedade Limitada

A Sociedade Limitada é formada por dois ou mais sócios que contribuem com moeda ou bens avaliáveis em dinheiro para formação do capital social. A responsabilidade dos sócios é restrita ao valor do capital social, que geralmente de R$ 1.000,00 no total.

E aí fica a pergunta: qual a melhor opção? Isso depende da sua atividade e da avaliação do que é melhor para a sua empresa. E quem pode te ajudar nisso? A Contabilizei Contabilidade.

CTA Abertura V2 azul A

Atividades que a empresa irá exercer (CNAE)

A sua atividade profissional é importante, pois ela será enquadrada em alguma categoria de CNAE (Classificação Nacional de Atividade Econômica). É a partir da definição das suas CNAEs que você saberá quanto vai pagar de impostos (vamos falar mais sobre eles daqui a pouco). Você poderá ter várias CNAE’s porém, uma deverá ser a principal.

Qual? Aquela referente à atividade que você mais executará e emitirá a maioria de suas notas.

Confira essa tabela completa de cnaes para seu negócio.

Vamos a um exemplo mais prático: supondo que você tenha uma empresa que presta tanto consultoria em tecnologia quanto treinamento em desenvolvimento profissional, suas CNAEs poderiam ser:

Atividade Primária (sua atividade principal)
CNAE 6204-0/00 Consultoria em tecnologia da informação.


Atividade Secundária (atividades que você eventualmente realiza)
8599-6/04 Treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial
A atividade primária de Consulta em tecnologia da informação, por exemplo, está enquadrada no Anexo V do Simples Nacional, com alíquotas iniciais em 15,50%, (com o fator R podem cair para 6%). É possível ter CNAEs no mesmo CNPJ que possuam Anexos diferentes com suas respectivas tributações. Quer saber mais sobre Anexos, confira a tabela completa do simples nacional.

Como abrir uma empresa do ZERO: Dicas sobre os CNAES

Nessa série a nossa contadora Paloma Grubba vai te apresentar tudo o que você precisa saber para começar o seu negócio.

Nesse primeiro vídeo você vai descobrir o que são CNAEs e qual a diferença entre o regime Simples Nacional e Lucro Presumido.

Mas e os impostos?

Seus impostos incidirão sobre o valor do seu faturamento ou dependendo do anexo que as atividades da sua empresa estão enquadradas, também irá contar com o valor de pro-labore e folha de pagamento. Só que, ao contrário do que muitos pensam, o quanto você vai pagar de imposto depende do regime de tributação e não do regime jurídico (EI, EIRELI, LTDA) – que já vimos anteriormente.

E a escolha da atividade que a sua empresa vai exercer (CNAE) influencia na alíquota que você vai pagar de impostos uma vez que algumas CNAES podem fazer parte de determinado regime jurídico e outras, não.

Existem 3 regimes tributários que sua empresa pode ser enquadrada:

Simples Nacional

É um programa simplificado de arrecadação de impostos que unifica oito tributos, Municipais, Estaduais e da União, em uma guia com vencimento mensal, facilitando a vida do micro e pequeno empresário que fatura até R$ 4,8 milhões ao ano.

Sendo optante pelo Simples Nacional os impostos são calculados de acordo com as suas atividades e seus enquadramentos em um dos cinco anexos da Tabela do Simples Nacional.

Em 2018, foram realizadas algumas mudanças no Simples Nacional que permitiram o acesso de mais empresas ao programa. Temos um artigo explicando tudo!

Lucro Presumido

No Lucro Presumido, as empresas podem faturar até R$ 78 milhões ao ano e o pagamento de impostos não é unificado em uma única guia – são cinco guias de pagamento independentes (IRPJ, CSL, PIS, INSS e COFINS) com vencimentos diferenciados. Além disso, existe a Contribuição Sindical Patronal, que indica é a parcela do empregador na manutenção de condições igualitárias de diálogo e negociação.

A alíquota de imposto varia entre 12,33% e 16,33% em cima de um percentual predefinido do seu faturamento. Ou seja, primeiramente presume-se o percentual de lucro que a empresa tem, para então ser aplicada a alíquota de impostos.

Lucro Real

Nesta opção, alguns tributos (IRPJ e CSLL) são retirados apenas em cima do que a sua empresa lucra de fato. Portanto, é preciso ter todas as contas e balanços conciliados com exatidão. Após todos os ajustes e compensações das contas previstos em legislação, o lucro da empresa é tributado.

Algumas empresas são obrigadas a se enquadrar no Lucro Real, seja pela atividade ou pelo faturamento – empresas com receita bruta anual superior a R$ 78 milhões, por exemplo.

E a documentação para abrir minha empresa?

Bem, falamos de escolhas, impostos, agora falta a documentação. Os documentos variam muito dependendo do Estado e da sua cidade, pois existem grandes diferenças de uma Prefeitura para outra, além de diferentes exigências para cada atividade comercial.

Você pode fazer este processo sozinho, uma vez que a contabilidade só é obrigatória após a abertura da empresa. Mas orientação e apoio ajudam muito no processo, além de evitar algumas dores de cabeças futuras. E a Contabilizei faz o processo de abertura da sua empresa sem dor de cabeça, e ainda é grátis.

Confira quais os documentos necessários para abrir empresa e quais são as etapas nos órgãos públicos.

  • RG e CPF;
  • Comprovante de endereço;
  • Se casado(a), certidão de casamento;
  • Cópia do IPTU ou documento que conste a inscrição imobiliária ou a indicação fiscal do imóvel onde a empresa será instalada.

Dependendo da atividade da sua empresa, poderão ser solicitados outros documentos como registro profissional (OAB, CRM, etc), por exemplo. Após esta primeira etapa, sua empresa começa a nascer e você terá o seu primeiro contrato social. O próximo passo é ir até a Junta Comercial ou ao Cartório (o local será definido dependendo da atividade exercida), para protocolar seu pedido de registro.

Algumas atividades ainda vão pedir documentos específicos, que devem ser consultados no órgão responsável com antecedência e após o registro na Junta – ou no Cartório -, você terá o seu CNPJ.

Por fim, com o requerimento aprovado e CNPJ novinho em folha, você deve ir à Prefeitura para solicitar o alvará. A documentação varia dependendo da sua localidade e é necessário consultar a Prefeitura da sua cidade nesse passo. Já podemos adiantar que é importante ter em mãos o IPTU com tudo certinho.

Quanto custa abrir uma empresa?

Como dissemos anteriormente, você pode embarcar na aventura de abrir sua empresa sozinho, mas isso pode te tomar um bom tempo e é um pouco arriscado.
Já pensou se você faz uma escolha errada porque não teve orientação e tem que se explicar para a Receita Federal?

Bem, geralmente, o serviço de abertura de empresa custa entre R$ 1.000 e R$ 1.500. Salgado, né?

A boa notícia você já sabe: vem para a Contabilizei que a gente abre sua empresa de graça, você paga apenas as taxas do governo e faz os protocolos nos órgãos públicos.

Falando em órgãos públicos, o que não tem jeito são os custos para dar entrada nos processos na Junta Comercial e na Prefeitura, que variam de acordo com a cidade. Na Junta Comercial você vai gastar entre R$71 e R$351. Já na prefeitura, para emitir o alvará, os custos em geral variam entre R$120 e R$753.

Quanto tempo leva para abrir uma empresa?

Escolhas importantes, impostos, documentos. Mas o que você quer mesmo é abrir as portas logo, certo?

Saiba que o processo completo de abertura do seu negócio costuma levar entre 30 e 45 dias, em média, a contar da data em que a solicitação foi protocolada na Junta Comercial. Mas esse prazo não é bem exato, depende da análise dos órgãos públicos responsáveis e pode demorar mais ou até menos para que seja aberta sua firma e você tenha em mãos seu CNPJ.

Confira abaixo uma tabela com o tempo médio para a abertura de uma empresa nas principais capitais do Brasil, em levantamento feito pela nossa equipe, que já abriu mais de 4 mil empresas em todo o país:

CidadePrazo médio de abertura
São Paulo30 dias
Rio de Janeiro45 dias
Belo Horizonte45 dias
Curitiba45 dias
Porto Alegre48 dias

Quer saber sobre mais como abrir um CNJ rápido? Recomendamos que clique aqui e leia um artigo sobre o assunto.

Abrir empresa como autônomo ou ME? O que vale mais a pena?

Receber como autônomo pode parecer mais prático, mas e se eu te contar que virar uma ME vai fazer com que você pague menos impostos e tenha mais tranquilidade?

É comum, em algumas profissões, como na medicina ou arquitetura, que os profissionais recebam como autônomos. Este pagamento é feito com RPA – Recibo de Pagamento Autônomo – onde o imposto a ser pago segue a tabela de imposto de renda pessoa física, ou seja, você pode pagar até 27,5% de impostos sobre seus rendimentos.

A forma de diminuir esta despesa é abrir uma microempresa. Desta forma, a tributação será mais branda (a partir de 4,5% sobre o faturamento, dependendo da atividade) e o seu lucro como empresário será isento de IRPF.

Muita gente continua como autônomo porque acredita que é complexo e caro abrir e manter uma empresa, mas isso não é verdade. Fora que a economia que você garante como uma ME compensa, e muito! Na Contabilizei nós já ajudamos milhares de autônomos a abrirem suas empresas economizando mais de R$45 milhões com uma contabilidade simples e prática que demanda apenas 30 minutos por mês do empresário.

Obrigado

Como abrir empresa:
da estruturação à formalização


Entre para a Contabilizei

5 Dicas valiosas para quem quer abrir uma empresa: 

Se você está pensando em começar seu negócio, além da parte técnica e burocrática explicada nesse artigo, deve levar em consideração também a parte empreendedora de começar o próprio negócio do zero

Antes de iniciar o processo de abertura, é muito importante que você se prepare para os desafios que virão.

Aqui, separamos 5 dicas que vão te ajudar a tirar seu sonho do papel: 

1. Plano de negócios e validação da ideia 

Ter uma ideia de negócio é o primeiro passo e, em geral, o mais animador. Mas, uma boa ideia precisa ser testada e você pode fazer isso de diversas maneiras. Para começar, faça seu plano de negócios e leve em consideração os itens abaixo: 

  • Estude o cliente ideal: quem vai usar o seu produto ou serviço? qual o problema que a abertura da sua empresa vai resolver? qual a faixa etária, escolaridade, renda mensal, classe social dessas pessoas? quanto ela está disposta a gastar com a sua empresa? Perguntas como essa te ajudarão a entender o seu público. 
  • Estude o mercado: entenda o segmento em que você irá atuar. Consulte relatórios de comportamento de segmento e consumidor (o SEBRAE e a e-Bit disponibilizam ótimos materiais sobre o assunto). Identifique as oportunidades de melhorias da sua ideia e entenda como poderá se preparar para os desafios. 

Apresente a sua ideia de negócio a pessoas conhecidas, peça opiniões e esteja aberto a remodelar a sua proposta, caso seja necessário. Se, ao combinar as análises e opiniões, a sua ideia ainda parece uma grande oportunidade, chegou a hora de aproveitar a próxima dica para começar o processo de abrir empresa. 

​2. Defina o seu local de trabalho

Se o seu negócio é físico, ou seja, você vai abrir uma empresa e precisará de um local para receber seus clientes, pesquise as melhores regiões do seu bairro ou cidade. Mais uma vez, os relatórios do SEBRAE poderão te ajudar a definir o melhor local abrir seu negócio.

Para quem pensa em trabalhar em casa, leve em consideração também a possibilidade de coworkings que já dispõe de infraestrutura para receber clientes e realização de reuniões, por exemplo. Em algumas situações, a utilização de espaços como esse acabam saindo 

em conta financeiramente, além de dar uma aparência mais profissional para sua empresa. 

3. Levantamento de gastos

Se você seguiu as primeiras dicas, agora é a hora de entender o quanto isso irá custar. Para começar, realize o mapeamento de todos os custos envolvidos com a operação do seu serviço. 

Nesse ponto, você deve considerar: 

  • Gastos iniciais: aqui entram todos os custos envolvidos para tirar o seu negócio do papel. Custos com a abertura de empresa – você pode optar por abrir empresa online, por exemplo – compra de infraestrutura, investimento em tecnologia (um computador novo entra nessa categoria);. 

  • Gastos recorrentes: custos com aluguel, despesas básicas como água, luz, telefone, deslocamento para encontrar clientes, contabilidade – lembre-se: é obrigatório ter um contador cuidando do seu negócio
  • Gastos esporádicos: custos com taxas ocasionais, melhorias necessárias. 

Agora que você já tem uma ideia de quanto vai custar para abrir uma empresa, chegou a hora de definir o seu capital inicial. 

4. Capital inicial

Essa é a hora de ser realista. Você precisará investir no seu negócio e, nos primeiros meses, pode não ter lucro com a sua empresa. 

Sendo assim, você vai precisar de uma quantia que cubra os seus gastos iniciais, recorrentes e esporádicos dos primeiros meses da empresa. 

Alguns novos empreendedores, buscam por investimentos em fundos privados ou mesmo crowdfunding para iniciar suas operações. Outros, utilizam partes das economias guardadas ou FGTS e seguro desemprego para começar a abrir empresa. 

Seja qual for a sua escolha, desde o início é importante que você saiba que os gastos da sua pessoa jurídica (sua empresa) e seus gastos como pessoa física (pessoais) não devem se misturar. 

Vamos te explicar o porquê dessa regra ser tão importante: caso a Receita Federal entenda que você e a sua empresa são uma mesma entidade, você poderá ser tributado em mais 30% sobre os valores já pagos em impostos. Essa cobrança vem de forma retroativa sobre o tempo de operação da empresa.  

Além disso, manter as despesas separadas te ajudará a manter a organização do seu negócio, facilitar a tomada de decisão e te ajudar, inclusive a conseguir empréstimos, caso seja necessário. 

5. Contrate um escritório de contabilidade 

Agora que você já está estudou o mercado, levantou seus gastos e definiu seu local de trabalho, chegou a hora de abrir sua empresa. Para dar entrada no processo, é necessário que você contrate um escritório de contabilidade com experiência em abertura de micro e pequenas empresas. 

O contador responsável irá te explicar como abrir a sua empresa e será o á o responsável por confeccionar e emitir os documentos exigidos pelos órgãos públicos, além de fornecer as orientações e assessoria necessária para iniciar sua empresa. 

Lembre-se: a Contabilizei faz todo o processo de abertura da sua empresa online, grátis e de forma prática e segura. 

Erros que você não deve cometer na hora de abrir sua empresa!

Mesmo seguindo todas as dicas, alguns erros ainda podem acontecer. Para evitá-los, é importante que você conheça bem o seu negócio e esteja preparado para lidar com os desafios. Listamos aqui três erros comuns que você deve evitar na hora de abrir empresa.

1. Falta de planejamento 

Em um mundo perfeito, empreender viria com um manual de instruções. Enquanto isso não acontece, a fórmula mais fácil evitar erros é apostar no planejamento estratégico da sua empresa. Desde o momento em que você decidir tirar sua ideia do papel, até a hora de realizar as atividades rotineiras, se planejar é a chave. 

E essa regra vale inclusive para quem vai empreender sozinho. Um bom planejamento deve ser realizado de maneira estratégica e sistêmica para que você esteja preparado para lidar com as situações comuns e evitar surpresas desagradáveis ao abrir a empresa. 

Inicie com o seu planejamento financeiro: defina orçamentos para todas as ações que você serão necessárias, realize a precificação correta do seu produto/serviço e saiba exatamente quanto você terá de despesas mensais. Depois, comece a planejar suas rotinas de prestação de serviço e sempre pense em alternativas para quando algo não sair como o planejado. 

2. Superestimar o faturamento 

Empreender não é garantia de rios de dinheiro rápido e, muitas vezes, os novos empresários acabam se esquecendo disso. Atraídos por linhas de crédito facilitada, muita gente se afunda em empréstimos por imaginar que o lucro com a empresa virá muito rápido. 

Quando o faturamento não vem, o resultado são dívidas que se acumulam, além da frustração do empreendedor. Para não entrar nas estatísticas de empresas que fecham logo no primeiro ano, seja realista e alinhe suas expectativas com um bom planejamento financeiro. 

3. Não ter um contador de confiança 

Um dos pontos mais importantes na abertura de empresa é escolher o contador que ficará responsável pela contabilidade. O papel desse profissional, além de fundamental, é obrigatório para micro e pequenas empresas. 

Logo de início, o contador ficará responsável por garantir que sua empresa seja aberta corretamente seguindo a legislação. Também é papel de contador, realizar o enquadramento tributário correto para que você possa pagar seus impostos corretamente.

Após a abertura da empresa, também é obrigatório ter um profissional de confiança realizando a contabilidade completa e garantindo a entrega de todas as declarações exigidas pelos órgãos públicos. 

Problemas comuns na hora de abrir empresa 

Empreender é o sonho de muita gente, mas alguns problemas ainda persistem e se tornam comuns na vida do novo empreendedor. Listamos abaixo os principais.  

1. Burocracia 

O Brasil figura entre os países mais burocráticos do mundo e um dos pontos que mais reflete essa realidade é o momento de abertura de empresa. São sequências de protocolos, registros e aprovações de documentos que, muitas vezes, geram dores de cabeça para quem está começando. 

O lado positivo é que você não precisa passar por isso sozinho. O seu contador irá te assessorar e orientar para que essa fase seja finalizada o mais breve possível, pois já tem experiência em como abrir uma empresa. 

2. Erros contábeis 

Como reforçamos, ter um contador de confiança, além de obrigatório, é essencial para que desde o início a sua empresa esteja regularizada perante os órgãos públicos. 

Um registro incorreto, uma inclusão de atividade errada ou até mesmo falha na hora da orientação pode fazer com que você gaste dinheiro e tenha muitas dores de cabeça no futuro. 

Além disso, os custos cobrados pelo serviço de abertura da empresa, também podem pesar no orçamento de quem está começando. 

Para evitar esses e mais problemas, escolha bem o escritório de contabilidade que ficará responsável por abrir seu negócio.

Dúvidas frequentes sobre como abrir uma empresa

Já falamos sobre quase tudo, e você certamente já entendeu muito dos processos de abertura e até da necessidade de abrir a sua empresa, como no caso de autônomos, não é mesmo? Estamos chegando ao fim do Guia de Abertura de Empresas, mas se ainda restou alguma dúvida, apostamos que ela estará nas próximas linhas, nas nossas respostas rápidas. Confira:

1. Como emitir Nota Fiscal?

Depois que a sua empresa estiver aberta, você estará apto a emitir notas fiscais. A Contabilizei abre a sua empresa de graça e já providencia este cadastro, assim como o passo a passo para emissão de NFS-e em diversas Prefeituras em mais de 30 cidades brasileiras.

2. Como pagar os impostos?

Quando você emite nota fiscal, automaticamente terá impostos a pagar. Esta guia é gerada pelo contador e encaminhada para você e, com a Contabilizei, ela fica disponível sempre com antecedência através da nossa plataforma. Assim fica fácil, né?

3. E se eu não pagar os impostos?

Preveja este custo no seu orçamento e mantenha-se regularizado. Só assim você terá crédito na praça, poderá sempre emitir suas notas fiscais, não vai criar dívida ativa e dormirá em paz. Se acontecer de você não pagar seus impostos, será penalizado com multa e juros e em algum momento terá que renegociar a dívida, ou seja, prejuízo. O governo costuma abrir negociação com as empresas devedoras de tempos em tempos.

4. Pagando o imposto eu garanto a minha aposentadoria?

Não. Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. Imposto é a contribuição que você paga para o estado para ajudar a custear despesas administrativas e de infra estrutura. A aposentadoria é uma contribuição à parte que você faz e que se baseia no seu salário.

Mas dono de empresa tem salário? Tem sim, e é chamado de pró-labore. Você pode retirar uma quantia mensal e sobre ela contribuir cerca de 11% para a previdência social. Quanto maior for o seu pró-labore maior será a sua contribuição e, consequentemente, sua aposentadoria.

Você tem a opção de não ter pró-labore enquanto sua empresa está sem movimentação. Paralelo a isso, você também deve retirar os lucros da sua empresa, que serão apurados pela contabilidade, mas aí não estará contribuindo para o INSS e fica à sua escolha guardar dinheiro, fazer previdência privada ou jogar na Mega Sena para garantir o futuro

5. Quem abre uma empresa é obrigado a ter um contador?

Sim, tendo uma empresa ME você é obrigado por lei a ter um contador. Mas a contabilidade pode ser diferente, mais fácil, econômica e digital e é assim que a Contabilizei faz: democratiza os serviços contábeis no Brasil. Abrimos a sua empresa de graça, você fica responsável apenas por fazer os protocolos físicos e pagar as taxas do governo. Depois, a contabilidade da sua empresa custará a partir de R$89 por mês.

6. Já tenho uma empresa, posso abrir outra?

Em alguns casos sim. Ter mais de uma empresa no seu nome é possível, mas existem algumas regras para cada caso: se você tem um MEI, não poderá abrir outra empresa. Já empreendedores EI ou EIRELI só poderão ser sócios ou ter outra empresa se ela for LTDA. Para facilitar, veja a tabela abaixo:

Regime jurídico atualPosso abrir outra empresa?
MEINão é possível 🙁
EIPode ter apenas mais uma EIRELI, e várias LTDA
EIRELIPode ter apenas mais uma EI, e várias LTDA
LTDAPode ter outra EI ou EIRELI ou LTDA

Vale a ressalva que possuindo outras empresas de porte ME ou EPP em seu nome, o faturamento das empresas será somado. Ou seja, fique atento quanto ao limite de faturamento do seu regime tributário.

Tratando-se do Simples Nacional, qual o limite é R$ 4,8 milhões, se o faturamento das duas empresas extrapolar esse valor, ambas serão enquadradas no regime Lucro Presumido, sendo assim, suas alíquotas poderão mudar.

Vale ressaltar que essa soma vale apenas para definir o enquadramento no Simples Nacional e não para definir a alíquota de imposto.

Abri minha empresa e agora?

Você decidiu abrir uma empresa, pesquisou bastante, entendeu o Simples Nacional e ela finalmente saiu do papel. Mas e agora, como prosseguir?

É hora de botar a mão na massa!

Finalizados os processos e as dúvidas, só resta uma coisa: botar a mão na massa. É hora de criar estratégias de marketing para ganhar visibilidade e construir uma base de clientes. Nossa dica é que você comece criando um site e também um logotipo criativo e que chame a atenção dos seus clientes.

Para isso, use e abuse de recursos online que poderá usar de forma gratuita, principalmente no início da empresa onde todo investimento precisará ser pensado.

A Logaster, por exemplo, disponibiliza uma ferramenta onde você poderá criar seu Logotipo grátis com apenas alguns cliques.

Por último, lembre-se que será uma fase de muito trabalho, mas também muitas conquistas. Conte conosco sempre, com uma contabilidade prática e econômica, do jeito que a sua empresa precisa para dar certo.

Quer ajuda para abrir uma empresa ou ter um CNPJ?

A Contabilizei é líder em abertura de empresas 🏆

Deixe seus dados e nossos especialistas entrarão em contato

Contabilizei

A Contabilizei é líder em abertura de empresas no Brasil e mantém esse blog para levar conteúdo de qualidade aos pequenos empreendedores.

13
Deixe um comentário

avatar
7 Threads
6 Thread replies
0 Followers
 
Comentário mais reagido
Comentários mais quente
9 Autores dos comentários
Hipolito dos Santos Francisco Stiven H.fabioELISANGELA FREITAS CARDOSOchristina Autores de comentários recentes
Marcelo Leda
Marcelo Leda

Bom dia, gostei muito desse passo a passo porque fala a minha língua,
só ficou uma dúvida… é obrigatório ter um contador, mas e se eu contratar vocês (contabilizei) seria suficiente ou eu ainda assim teria que contratar um outro contador aqui na minha cidade?

Hipolito dos Santos Francisco
Hipolito dos Santos Francisco

Marcelo, tudo bem? Excelente questão. Você não precisa de contador se a sua empresa for MEI (microempreendedor Individual). Você mesmo pode fazer a abertura través do SEBRAE ou do Portal do Empreendedorismo do governo federal. A Contabilizei atende a partir de ME que passa a ser obrigatório a contratação de um contador. Contratando a Contabilizei, você tem planos a partir de R$ 89,00/mês e além da abertura, passamos a responder pela contabilidade da sua empresa, além de não precisar do serviço de outro contador. A Contabilizei será o seu contador! Quer saber mais? Acesse https://www.contabilizei.com.br/

Arthur Barros
Arthur Barros

Muito legal, parabéns pelo artigo!
Pretendo – como advogado – auxiliar uma cliente a abrir uma empresa individual, provavelmente MEI.
Fico fascinado com as possibilidades técnicas e empresariais de abrir seu próprio negócio e estou entusiasmado a ajudá-la!
Também fiquei curioso com o seguinte: qual lei determina a obrigação de um contador de ME para cima?
Acho o serviço importante, contudo (fora da área) não sei o que faz.

Obrigado pelo bom serviço,
Arthur Barros

Hipolito dos Santos Francisco
Hipolito dos Santos Francisco

Obrigado Arthur, estamos trabalhando para ter um Blog cada dia melhor.

Vamos a sua resposta. A vedação da atividade de contador como MEI – Microempreendedor individual está na Lei Complementar nº 123/2006 e Resolução CGSN nº 140/2018, no anexo XI. Este anexo lista somente as atividades que podem optar pelo MEI, as demais devem optar por ser ME, EPP ou outras (grande porte).

Abraço!

Jairo do Nascimento Silva
Jairo do Nascimento Silva

Eu estou na analise para abertura de uma empresa de vendas de sistemas, porém, não queria ter um espaço físico apenas um site online para vendas.
Nesse caso como enquadrar minha empresa, teria como me passarem alguns dados sobre?

Hipolito dos Santos Francisco
Hipolito dos Santos Francisco

Boa tarde Jairo!

É necessário possuir um endereço válido para cadastro de suas atividades, nesse caso o mesmo será cadastrado como Escritório Administrativo, não tendo necessidade de apresentar todos os alvarás necessários para endereços de locais de produção (como restaurantes). No processo de abertura serão solicitadas informações como inscrição mobiliária e área do imóvel, as quais constarão em seu carnê de IPTU, por isso a necessidade de um endereço válido para a abertura.

Respondido? Obrigado pela sua pergunta e permaneça conosco. Sempre temos conteúdos novos para os nossos empreendedores.

Abraço

LOURDES LEMES RODRIGUES
LOURDES LEMES RODRIGUES

Bom dia.
Ótimo trabalho, parabéns, conteúdo descomplicado.

Hipolito dos Santos Francisco
Hipolito dos Santos Francisco

Obrigado Lourdes! São palavras como a sua que nos ajudam a continuar. Fique sempre com a gente porque todos os dias temos novos conteúdos com foco em contabilidade e empreendedorismo.

Até a próxima!

fabio
fabio

excelentes explicações!

christina
christina

muito bom, parabens!

ELISANGELA FREITAS CARDOSO
ELISANGELA FREITAS CARDOSO

adorei tudo que li e logo logo entrarei em contato

Stiven H.
Stiven H.

Nossa, adorei o Blog, parabéns !!!
Vou precisar abrir uma empresa para receber royalties de uma indústria, qual tipo de empresa precisarei abrir ?
Vou precisar endereço físico ? Será que vou ter que pagar muito imposto ?

Sobre contratar a Contabilizei, custará R$ 89,00 por mês ?

Muito Obrigado

Hipolito dos Santos Francisco
Hipolito dos Santos Francisco

Olá Stivem obrigado pelo elogio! Quanto a sua empresa, precisaríamos de mais informações para responder qual o tipo de empresa e qual o MEI que você deveria optar. Entre em contato com a Contabilizei pelo site que um dos nossos especialistas irá te ajudar com todo prazer. Em principio toda empresa precisa de um endereço físico para a abertura do CNPJ que, em alguns casos pode ser o mesmo da sua residência, porém é preciso analisar o caso. O plano básico da Contabilizei custa R$ 89,00 e te dá direito a contabilidade completa online através do uso da nossa plataforma… Read more »