Como apoiar os pequenos e médios negócios em períodos de crise

| Atualizado em 16/11/20 | 9 minutos de leitura

Iniciativas privadas e públicas buscam alavancar os pequenos negócios: esse momento das empresas, quando ainda são pequenas ou iniciantes, sempre apresenta algum tipo de dificuldade para o empreendedor – em geral relacionada ao capital ou a gestão.

E o que dizer de empresas que dependem do giro mensal de capital para se manter de portas abertas? Muitas que já passaram do famoso período crítico dos dois primeiros anos de negócio ainda funcionam dessa forma: sem faturamento, sem condições de funcionar.

Somando-se a tudo isso, podemos garantir que o momento agora será de incertezas – até para os grandes. A crise econômica colada ao Coronavírus assusta mesmo: porque não se sabe ao certo como as coisas acontecerão no futuro próximo – ainda podemos ter períodos de fechamento e dificuldades no mercado interno e externo; mas também porque o comportamento humano sofre alterações com esse input tão diferente (e mesmo que a normalidade anterior volte rapidamente, talvez certas formas de consumo não existam mais).

O certo é que os pequenos negócios – independentemente do momento em que estiverem inseridos – precisam desse suportes específicos, o auxílio financeiro e a melhoria de gestão.

Quais os principais suportes que as MPE precisam em momentos de crise e incerteza? 

É como a gente estava comentando na abertura do texto: pode parecer que as ações para suporte às Micro e Pequenas Empresas são necessárias como uma urgência frente às crises que se instalam, mas de fato essas ações são importantes sempre e há, no âmbito público e privado, opções bacanas para o empreendedor não perder a coragem.

Mas vamos falar de períodos de incertezas, porque afinal estamos em um bem grande. Se você tem o seu negócio funcionando nesse momento, o que precisa efetivamente saber? Diríamos que duas coisas são fundamentais: ter capacidade de sobreviver no curto prazo e conseguir olhar com um mínimo de certeza para o futuro.

crise-homem-triste

Sobreviver aos abalos no curto prazo: tenha dados para a gestão efetiva da empresa

Muitos empresários não sabem a realidade da empresa que administram. Esse é um dado de realidade que quem está pensando nas Micro e Pequenas Empresas sempre tem em conta: qualquer ferramenta que ajuda o empreendedor a conhecer melhor a saúde financeira e outros dados de gestão do negócio são essenciais. 

É interessante que nem mesmo atividades do dia-a-dia do negócio que podem ser grandes ferramentas de suporte são conhecidas pelo empreendedor como tal – passando por meros processos distantes da realidade da empresa. 

Uma delas é a própria contabilidade: se você tem um negócio, provavelmente tem um contador. E ele tem muitas informações para te dar sobre a sua empresa – ele conhece dados financeiros para fazer a conversação com os órgãos fiscais e tributários, então há relatórios que você pode conferir e utilizar para gestão.

Para que a empresa resista às variações externas é muito importante que tenha esse conhecimento, e ainda que possa estar relacionada com o ambiente da melhor forma. É dizer que estar com a empresa com documentação em dia, corretamente enquadrada para pagamento de impostos, utilizando as melhores práticas de mercado também é parte da sobrevivência: se você vem fazendo sua gestão da mesma forma há muitos anos, talvez seja o momento de conhecer as novidades, e algumas delas podem ser muito efetivas.

Olhar para o Futuro: planejamento é sempre a chave do sucesso

Todos precisamos tomar decisões de negócios – não dá pra ficar sentado esperando tudo acontecer para depois agir. Em um ambiente de insegurança, como o de agora, qualquer informação que te dê um norte pode ser a diferença entre o acerto e o erro.

Em uma empresa pequena, o empresário pode analisar o ambiente econômico com base na taxa de juros para empréstimos, nas apostas de grandes players do seu tipo de negócio, e nos seus próprios dados do período recente.

Sim, é hora de decidir se o mais correto é cortar os custos ao máximo ou manter o funcionamento a pleno para ser capaz de abocanhar as fatias que a concorrência vai deixar de atender. Não são decisões fáceis, e muitas vezes é complicado tomar o rumo certo. Há muita ajuda e informação disponível: procure se cercar da maior quantidade de certezas que for possível para ter essa visão de futuro.

Mas minimizar os riscos é parte da ajuda que os pequenos negócios podem conseguir, especialmente no que se trata de acesso ao crédito. A melhor forma é tentar acesso a recursos que tenham mais prazo para devolução e que sejam realmente baratos – se você não achou ainda, procure mais. 

As instituições financeiras estão sempre interessadas na boa performance das pessoas jurídicas que atendem, afinal o trabalho delas também passa por isso. Então, outro contato que você pode e deve manter é com seu gerente bancário – ele pode te dar pistas desse futuro incerto e um caminho mais seguro. 

crise-postit

Marketing Digital, aquela ferramenta que fez toda a diferença em 2020

Nessa questão de planejamento, houve empresas (antes de 2020!) que acreditaram que tomar conta do mercado digital não era tão importante porque seu negócio era baseado no local de atendimento – e isso se tornou um grande problema. 

Agora, todo mundo está correndo atrás de um bom posicionamento online, e isso não deve mudar mesmo com o passar da pandemia. Lembra o que a gente falava no início do artigo, sobre mudança de comportamento? Essa é uma que todo mundo diz que veio para ficar: compras e negócios online. Imagine que os idosos – faixa etária que tinha maior aversão à tecnologia – tiveram de se adaptar ao método de pesquisar e comprar pela internet, então não tem volta mesmo.

A pergunta é: o que é essencial quando se fala de marketing digital?

Funciona da mesma forma como uma vitrine de calçada. Não adianta ter uma vitrine maravilhosa na rua errada, quem dirá em outro bairro. Assim é a internet: o marketing digital tem a vantagem de ser extremamente focado em um público que esteja de acordo com o que a empresa oferece. E a cobertura desse público também acontece em diversos espaços: nas redes sociais, nos resultados de buscas, nos anúncios em conteúdos de mídia. 

Para escolher a melhor forma de “achar” seu público online, se você não tem experiência nenhuma com esse tipo de ação, vale a pena investir em uma consultoria nesse sentido, e tem muita gente boa por aí, com preços bem pro bolso das MPE.

De qualquer forma, as próprias ferramentas que você utiliza para anunciar já te ajudam a ir delimitando o público: através de escolhas de local, escolarização, profissão, entre outros dados, seu anúncio é direcionado para um grupo bem específico, e aí você vai experimentando o que dá e o que não dá resultado.

Isso é o mais legal que temos para te dizer sobre o marketing digital: dá para ir experimentando, e aprendendo com os erros. 

Abrir um negócio na crise: será uma boa ideia?

Temos ainda aqueles casos em que você está com tudo engatilhado para começar um negócio e – bam! – surge uma crise econômica gigantesca. Olha, quem quer começar um empreendimento tem no primeiro passo um parceiro importante: o plano de negócios.

Se nesse planejamento inicial, mesmo você inserindo os dados da realidade atual, ainda estiver a indicação de que o seu negócio pode dar certo, porque não? Lembre-se que um bom plano de negócios leva em conta o cenário econômico, e que as pesquisas sobre se os clientes comprariam o seu produto tem de ser feitas (ou refeitas) já no momento da crise, para que a realidade apareça mais claramente.

Embora todo negócio envolva risco, minimizar é o que faz de você um melhor gestor. Além disso, há uma série de apoios que você pode contratar para dar esses primeiros passos e para estar de acordo com o momento atual: muitos serviços de assessoria gratuita para abertura de empresas são digitais e podem ser uma mão na roda.

crise-maquina-antiga

Seja bem-vindo futuro: tudo o que há de novo para ajudar as empresas

Como a gente já sabia, a digitalização dos negócios é um processo que cada vez avançará mais – atender o cliente online em todos os tipos de empresa é uma coisa de agora, não de amanhã.

Mas será que as instituições e empresas que oferecem suporte para esses negócios também estão andando nesse sentido? É claro que sim. Não precisa mais ir pra fila do banco – para nada! E recolher uma pasta de documentos físicos para a contabilidade? Esqueça!

Tudo isto é muito bom, na verdade. Atividades com as quais o empresário perdia um montão de tempo agora são resolvidas em um email ou algumas linhas de chat. E sobra mais tempo para pensar nas outras ações que ele precisa tomar – e também para levar uma vida mais divertida. 

Se todo mundo fala que quando você tem uma empresa trabalha muito mais do quando é funcionário, parte desse trabalho é justamente cumprir com todas as etapas, muitas ainda burocráticas, da gestão. Mas cada vez mais há opções para que seu dia-a-dia seja voltado para o foco do negócio, minimizando o impacto de tempo nessas atividades diversas.

Guilherme Soares

Escrito por:

Guilherme Soares

Guilherme é engenheiro formado pela Universidade de São Paulo com mestrado em administração de empresas pela London Business School. Guilherme atuou como consultor de estratégia de negócios na Bain & Company e liderou áreas de estratégia comercial e produtos na Latam Airlines Cargo e Cielo. Iniciou na Contabilizei em 2018.

Deixe um comentário

avatar