Empreendedorismo

Empreendedorismo Social: O que é? Entenda o Conceito

Atualizado em 13 maio 2020

Transformar o mundo e melhorar a vida das pessoas às vezes pode ser visto como utópico demais. Não para os empreendedores sociais. Com uma visão altruísta, eles recorrem a técnicas de gestão, inovação, criatividade, sustentabilidade e outras com o propósito de resgatar as pessoas de situações de risco social e promover a melhoria de sua condição de cidadão na sociedade, por meio da geração de capital, inclusão e emancipação social. Normalmente são pessoas que possuem outros negócios e utilizam a sua experiência para dar suporte a quem precisa, de maneira organizada e sustentável.

E se engana quem acha que nos cenários problemáticos e em meio a situações de crise, os empreendedores sociais não conseguem criar modelos de negócio que podem ser lucrativos. A diferença em relação ao empreendedor comum é que o objetivo principal não é ganhar dinheiro com a comercialização de produtos ou serviços para determinado público-alvo, mas ajudar a fazer um mundo melhor e mais justo para os mais necessitados.

A questão do lucro 

Como o modelo de atuação do empreendedorismo social tem como parte central do negócio a resolução de algum problema social, ele pode ser organizado com ou sem fins lucrativos. 

Apesar disso, em geral, a intenção é ser auto suficiente, sem precisar contar como fonte de renda doações ou patrocínios. Também não são caracterizados como Organização Não Governamental (ONG).

Empreendedorismo social no setor 2.5

É comum ver essas empresas enquadradas no setor 2.5 ou “setor dois e meio”. O termo faz referência a divisão sociológica, que considera o Estado com o primeiro setor, as empresas o segundo. Já as instituições sem fins lucrativos como terceiro setor.

Nesse contexto, os empreendimentos sociais ocupam uma posição intermediária entre o segundo e o terceiro setor, em que buscam o lucro e, ao mesmo tempo, o bem-estar social

A origem do conceito remonta a fundação do Banco Grameen pelo bengalês  Muhammad Yunus, na década de 1970. Na época, o objetivo era conceder empréstimos por meio de micro créditos a juros baixos para empreendedores sem condições de aportar em outras instituições financeiras.

Atualmente, o conceito começa a ser mais difundido no Brasil e se torna uma grande oportunidade de negócio para os empreendedores que tenham a visão holística de ajudar, ser sustentável e gerar capital.  No entanto, algumas organizações podem divergir quanto à nomenclatura, pois não fazem distinção entre negócios lucrativos ou não.

Exemplos de empreendedorismo social no Brasil e no mundo

Ao redor do mundo existem diversos exemplos de empreendedorismos sociais lucrativos, confira alguns deles:

Graacc (www.graacc.org.br)

Desde 1991, a organização funciona com base em um sistema de gestão e atendimento que envolve pesquisadores de universidades, a iniciativa privada e a sociedade. O propósito do fundador, o oncologista pediátrico Antonio Sérgio Petrilli, é o combate ao câncer infantil no Brasil.

TOMS Shoes (www.toms.com/)

Em 2006,  o americano Blake Mycoskie criou a TOMS Shoes, com a proposta de ajudar crianças carentes. A ideia era que a cada par de calçados vendido pela empresa, um novo seria doado.

Gerando Falcões (www.jovensfalcoes.com.br)

A proposta de abordar com alegria e otimismo as mensagens de incentivo à educação e à cultura e do cotidiano da periferia é um dos objetivos do Gerando Falcões. Com incentivo do empreendedor social Eduardo Lyra, a iniciativa já conseguiu implantar diversos projetos socioeducativos, que atingem mais de 100 mil jovens por ano. Em 2014, ele foi escolhido pelo Fórum Econômico Mundial como um dos jovens paulistas de até 30 anos com potencial para mudar o mundo.

AID: Tech (https://v3.aid.technology/)

A AID: Tech é responsável pelo lançamento do primeiro aplicativo blockchain de doações rastreáveis para clientes de bancos, empresas e consumidores. A iniciativa é vencedora do prêmio do Chanceler do Ano do Citibank por combater a corrupção, apresentado pela diretora do FMI, Christine Lagarde. Já o CEO e cofundador Joseph Thompson  foi nomeado como um dos dez líderes mundiais que fazem avançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) (https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/) da ONU.

E aí, se identificou com o empreendedorismo social? Ou você tem outro perfil de empreendedor?  Ah, se precisar de ajuda na abertura da sua empresa, procure os contadores da Contabilizei.

Contabilizei

A Contabilizei é líder em abertura de empresas no Brasil e mantém esse blog para levar conteúdo de qualidade aos pequenos empreendedores.

Deixe um comentário

avatar