Gestão e Negócios

Entenda o que é e como funciona a margem de lucro ideal

Atualizado em 13 fev 2020

A margem de lucro ideal é um dos fatores mais importantes para ter sucesso. É através dela que calcula-se a porcentagem de lucratividade do mês, sabe-se o quão rentável o negócio está sendo a longo prazo e pode-se administrar de maneira mais realista todas as finanças. Para calcular a margem de lucro ideal, basta dividir seu lucro pela receita total e então multiplicar por 100. Desta forma, você saberá o quanto de lucratividade sua empresa teve e poderá precificar seus produtos adequadamente.


Todo empreendedor que abre ou pensa em abrir uma empresa tem sempre o mesmo desejo e objetivo: ter tanto sucesso financeiro quanto pessoal, no entanto, para alcançar os dois, é muito importante que o negócio seja rentável para que possa continuar exercendo as atividades e, consequentemente, a empresa permaneça ativa e gere lucro.

Pode parecer um tanto óbvio, mas, de acordo com o SEBRAE, a má gestão financeira relacionada à falta de rentabilidade de uma empresa é o motivo número um da grande maioria dos negócios irem à falência.

Por isso é crucial que você saiba administrar os valores dos serviços que disponibiliza e dos lucros de cada serviço vendido. E, para fazer tudo isso, ter uma boa gestão de sua empresa e conquistar o sucesso desejado, é necessário calcular a margem de lucro ideal do seu negócio. Só assim você poderá ter uma lucratividade saudável e, consequentemente, uma empresa bem-sucedida.

Se você ainda tem dúvidas sobre o assunto e quer saber a melhor forma de ter rentabilidade na sua empresa, entenda aqui exatamente o que é a margem de lucro ideal e como atingi-la.

Obrigado

Assine nossa newsletter e
receba conteúdos exclusivos


Entre para a Contabilizei

O que é a margem de lucro ideal

De forma bem simplificada, uma margem de lucro é a porcentagem que define quanto “sobrou” para a empresa após todos os custos que teve para produzir/vender/entregar seu produto ao consumidor, por exemplo, juros, impostos, gastos com produção, etc.

Essa porcentagem, que mostra o que “sobra” após todos os custos e despesas (ou seja, o lucro), é adicionada ao custo total de um produto para representar o valor final em que ele será comercializado. Ou seja, o valor que o consumidor paga por um produto é formado por: 

custos e despesas que a empresa teve para produzir o produto

+

o quanto de lucro que essa empresa terá

Por exemplo, se o custo de produção de um produto, juntamente com todas as outras despesas, foi de R$100 para a empresa, mas o valor em que o produto é comercializado para o consumidor é de R$150, o lucro dessa empresa é de R$50. A partir desse valor, pode-se calcular o percentual da margem de lucro, que representa a lucratividade da empresa no total.

Assim, o objetivo de cada empresa é ter uma margem de lucro ideal para que seu negócio possa ser rentável e gerar retorno financeiro.

Para que serve a margem de lucro ideal e por que calculá-la?

Como explicamos acima, a margem de lucro serve para que o empreendedor saiba exatamente qual é a lucratividade de sua empresa. Isso é muito importante porque usar apenas o quanto de lucro a empresa teve não significa que será possível saber ao certo qual foi sua margem de lucro e, consequentemente, seu percentual de lucratividade.

Por exemplo:

Uma empresa que vendeu um produto por R$100, mas teve custos e despesas de R$80, terá um lucro de R$20 – o que significa que teve uma margem de lucro de 20%. Já uma empresa que vendeu um produto por R$500 e teve custos e despesas de R$480, apesar de ter o mesmo lucro de R$20, sua margem de lucro será de apenas 4%.

Por isso é tão importante saber a margem de lucro de seu negócio. Principalmente em situações como na hora de pedir um empréstimo, o banco irá perguntar sobre a margem de lucro (ou percentual de lucratividade) da empresa, e não o valor em reais.

Além disso, você, como empreendedor e dono da empresa, e seus sócios, podem ter uma noção mais realista do quão lucrativo e rentável é o negócio a longo prazo – um aspecto essencial para continuar sendo bem-sucedido por muito tempo.

Tudo sobre sua contabilidade em um único lugar. Conheça a Contabilizei

Margem de lucro bruta X margem de lucro líquida

Assim como existe o salário bruto e o salário líquido, existem também as margens de lucro bruta e líquida, e a diferença entre elas são as mesmas aplicadas aos salários.

A margem de lucro líquida sempre terá os descontos de tributações, despesas com a produção e outros tipos de custos. 

Assim, para calcular a margem de lucro bruta, basta dividir o lucro bruto pela receita. O lucro bruto representa simplesmente o lucro (ou o que “sobrou” após os gastos com matéria-prima, mão de obra e tudo que envolve a produção), e a receita é o valor total recebido na venda do produto para o consumidor.

Por exemplo, como no exemplo usado no tópico anterior, se o produto foi vendido por R$100, essa é sua receita total, mas se o custo da produção foi de R$80, seu lucro é de R$20. Portanto, basta dividir os R$20 pela receita total de R$100 e multiplicar o resultado por 100 para encontrar a porcentagem da margem de lucro bruta = 20%.

No entanto, para fazer o cálculo da margem de lucro líquida, é necessário descontar esses outros tipos de custos:

  • Custos da produção do produto – da mesma forma que a margem de lucro bruta –, como matéria-prima, mão de obra e outros custos gerais de fabricação;
  • Impostos;
  • Despesas administrativas fixas, como aluguel, IPTU, serviços de contador, salários de funcionários, etc.;  
  • Despesas administrativas variáveis como comissões sobre vendas, multas, acidentes na produção, atrasos na entrega do produto, etc.

Isso ocorre porque a margem de lucro bruta é necessária para determinar o preço de cada produto que você irá comercializar. Já a margem de lucro líquida é o quanto você realmente está lucrando mensalmente como empresa, e não apenas por produto.

Por exemplo: se você lucrou R$20 mil no mês, mas teve R$10 mil de despesas no total – com a produção do produto, incluindo matéria-prima e mão de obra, além dos impostos e de despesas fixas e variáveis –, então seu lucro líquido será de R$10 mil.

Desta forma, para saber a margem de lucro líquida, você terá que calcular o lucro líquido (R$10 mil), dividir pela receita total (de R$20 mil) e então multiplicar por 100 para chegar à porcentagem. 

Ou seja: 10.000 ÷ 20.000 = 0,5 x 100 = 50. 

Portanto, neste exemplo, esse será o percentual de sua margem de lucro líquida: 50%.

Contabilidade online para facilitar a rotina de pequenas empresas

Existe uma margem de lucro ideal?

A resposta simples é sim, existe uma margem de lucro ideal. 

No entanto, existe uma margem de lucro ideal específica para cada empresa, pois o percentual dessa margem é depende de variações, como as atividades da empresa, o setor, o tipo de produto e/ou serviço fornecido, o preço, etc.

Ainda assim, de modo geral, existe uma média para cada tipo de setor, de acordo com especialistas da área:  

  • Setor de serviço: 20%;  
  • Setor de comércio: de 10% a 15%; 
  • Setor de indústria: de 6% a 8%.

No entanto, é importante ressaltar que essas porcentagens apenas representam uma média geral e não seguem uma regra exata, pois cada empresa tem suas próprias características. Assim, vai do empreendedor analisar o cenário de seu negócio e avaliar seus objetivos para chegar à margem de lucro ideal.

Margem de lucro de serviço X margem de lucro de produto

Assim como vimos acima, nas médias de margens de lucro ideais para os diferentes setores de empresas, há uma grande diferença. Por isso, uma dúvida frequente entre os empreendedores é na hora de entender especificamente as diferenças entre as margens de lucro para o setor de serviço e para o setor de comércio.

Apesar do cálculo ser o mesmo para ambos, há diversas variações que alteram os resultados de cada um desses tipos de setores. O principal exemplo disso é o processo de precificação, ou seja, o preço que cada empresa coloca em seus produtos ou serviços.

Como cada um possui seu próprio processo de produção, envolvendo diferentes materiais, mão de obra, etc., eles, obviamente, terão preços diferentes. Consequentemente, eles também terão margens de lucro totalmente distintas.

Para entender melhor como funciona, vamos explicar de maneira bem simples e detalhada as diferenças entre a margem de lucro de prestação de serviço e de um produto (ou comércio).

Economize tempo e dinheiro na sua empresa

Como calcular a margem de lucro de prestação de serviço

Para saber como calcular a margem de lucro de serviço, vamos usar o exemplo de um ateliê de costura. 

Como uma empresa do setor de serviços, o ateliê prestará seus serviços ao consumidor, e, para isso, tem custos com materiais, como tecidos, agulhas, máquinas de costura, manequins etc. – essas são as despesas administrativas variáveis, mas que afetam o valor total do serviço.

Além desses custos, também incluirá no valor total do produto final as despesas administrativas fixas, como impostos, salários das costureiras, aluguel do ateliê (assim como luz, água, IPTU, etc.), entre outras. 

Isso ocorre porque, para prestar um serviço completo, as costureiras tiveram que utilizar tudo isso, desde as máquinas de costura e o tecido até a luz e o espaço do ateliê.

Ou seja, todos esses custos estarão agregados no valor total que será cobrado do cliente – de maneira proporcional, é claro –, além do lucro que a empresa tem que receber. Então o ateliê pode cobrar R$300 pela prestação de seus serviços, sendo R$200 desse valor para cobrir todas as despesas e R$100 de lucro, o que resulta em 33% de margem de lucro.

Como calcular a margem de lucro de um produto

Quanto à margem de lucro de um produto, que representa a empresa do setor de comércio, apesar do cálculo ser o mesmo (lucro ÷ receita x 100), as despesas serão menores. Para entender melhor, vamos usar um exemplo parecido com o de prestação de serviços: uma loja de roupas.

Diferentemente de um ateliê de costura, a loja de roupas que está revendendo de outras marcas, não está produzindo seu próprio produto, portanto, não terá despesas com a fabricação e toda a mão de obra que ela pede. Ou seja, as despesas inclusas no valor cobrado ao consumidor são, em sua grande maioria, as fixas, como impostos, aluguel, salários de funcionários, etc.

No máximo, as despesas variáveis que também podem estar inclusas no valor são, por exemplo, comissões de vendas ou multas, como atrasos na entrega do produto, caso a loja tenha um site (ou exclusivamente e-commerce).

Desta forma, a loja de roupas pode vender, por exemplo, uma camisa por apenas R$50 – sendo R$20 de despesas e R$30 de lucro, resultando em 40% de margem de lucro.

É por isso que uma empresa do setor de comércio pode vender seu produto com um valor mais baixo do que uma prestadora de serviços, que inclui um processo mais demorado e envolve mais mão de obra, matéria-prima etc. Consequentemente, as margens de lucro dessas duas empresas serão diferentes.

Sua contabilidade pode ser mais fácil. Deixe a parte chata conosco! Conheça a Contabilizei.

Dicas para estabelecer a margem de lucro ideal

Independentemente se você procura alcançar uma margem de lucro ideal para um produto ou para um serviço, o objetivo de todos o empreendedor é o mesmo: ter lucratividade saudável para sua empresa e, assim, alcançar sucesso suficiente para permanecer ativa e crescer.

Por isso, selecionamos algumas dicas importantes.

Compare seus preços com os de concorrentes

Há muita competividade entre empresas no mercado, principalmente aquelas do mesmo setor, portanto, é prudente estudar o processo de precificação de seus concorrentes diretos. 

Desta forma, é possível identificar se seus preços estão dentro da média do mercado ou se será necessário baixá-los ou aumentá-los.

Coloque preços adequados

Essa dica está relacionada ao item acima, pois, para precificar seus produtos ou serviços de forma adequada e proporcional, avaliar a concorrência é de grande ajuda. Mas, além disso, há muitos empreendedores que, às vezes por falta de experiência, “escolhem” seus preços baseados no tanto de lucro que desejam faturar ou por acharem que estão abaixo da média de qualidade.

Geralmente, o que isso causa é um preço alto ou baixo demais para determinado produto. Isso pode causar dois cenários: se o preço estiver muito alto, pode não atrair clientes suficientes; se o preço estiver muito baixo, pode atrair uma quantidade de clientes maior do que a empresa pode suportar e acabará tendo que arcar com certos prejuízos.

Por isso, fique atento e prefira qualidade com preços adequados para seus produtos ou serviços.

Procure não focar no lucro e, sim, na margem de lucro ideal

Como já explicamos, o lucro que você fatura com cada produto não é tão importante quanto a lucratividade que sua empresa atinge no mês. 

Por isso, outra dica valiosa na hora de escolher seu preço é não focar apenas em quanto você quer lucrar por produto ou serviço, mas, sim, traçar um plano para atingir o percentual de margem de lucro ideal.

Faça o planejamento de seus custos e despesas

Não é apenas o lucro que compõe o valor total do produto ou serviço – como vimos, as despesas são componentes que podem afetar muito o preço. Por isso é tão importante como prudente analisar minuciosamente cada custo e despesa que você terá como empresa, de maneira a evitar certos prejuízos e otimizar suas finanças a longo prazo.

Por fim, é importante relembrar que cada empresa possui cenários e características diferentes que podem depender de muitos fatores, como setor, atividade, tipos de produtos e serviços, etc., portanto, cada empreendedor deve definir sua própria margem de lucro ideal.

Apesar de se tratar de uma fórmula muito simples para saber sua margem de lucro, é necessário que todos os custos, despesas e números da empresa estejam bem organizados e de acordo com a realidade. Para organizar sua contabilidade e ter mais tempo para gerenciar seu negócio, conheça a Contabilizei!

Sua contabilidade sempre em dia em poucos cliques
Contabilizei

A Contabilizei é líder em abertura de empresas no Brasil e mantém esse blog para levar conteúdo de qualidade aos pequenos empreendedores.

Deixe um comentário

avatar