Como abrir uma empresa de treinamento profissional 2021

| Atualizado em 16/03/21 | 9 minutos de leitura

No mundo profissional, muitas pessoas decidem a certa altura da vida que são melhores ensinando aos outros certas práticas do que somente realizando as mesmas atividades. Saber ensinar faz parte de um complexo sistema humano, pois é necessário se colocar no lugar do outro ao mesmo tempo em que é preciso olhar com atenção para a nossa própria postura. 

E se você já se permitiu observar a si mesmo como um educador, porque não investir em um negócio que tenha essa cara? Uma empresa de treinamentos pode ser um bom encaminhamento para quem tem esse dom – e pode lhe render bons frutos, tanto no lado do crescimento pessoal quanto nas questões financeiras. Mas como abrir uma empresa de treinamento profissional?

Para partir para qualquer negócio, é bom conhecer mais sobre o ramo do negócio antes. Este artigo vai te ajudar nisso, e também mostrar o caminho concreto para fazer acontecer a sua empresa de treinamentos. Vem conosco!

O que é consultoria e treinamento? 

Uma empresa para treinamento de profissionais é diferente de uma escola ou faculdade – embora trabalhe para a educação de alguém, os conteúdos que são transmitidos aos alunos, em geral, tem cunho mais prático e referente a vida profissional, bem distante dos assuntos teóricos ou genéricos.

Por exemplo, enquanto a faculdade de Administração ensinará ao graduando sobre como as empresas fazem as contratações de pessoas, ilustrando a realidade com base nos teóricos sobre o assunto, uma empresa de treinamento sobre o mesmo assunto, contratação, oferecerá um curso totalmente prático: dirá qual o método que vem sendo utilizado hoje em dia, quais documentos são necessários, o que observar nos candidatos, etc. 

Por outro lado, uma consultoria é individualizada (normalmente específica para uma empresa). Nesse modelo, um especialista sobre um tema irá atender a empresa para ajudar nas questões que os profissionais têm a respeito do assunto. Um caso clássico desse tipo de atendimento é quando um empresário chama para dentro da sua empresa alguém especializado em finanças – o empresário pode ter criado a empresa em qualquer ramo de atuação, sem formação específica para cuidar do dinheiro, e acaba precisando de uma “mãozinha” do consultor.

Os dois tipos de ação, consultoria e treinamento (que como regra é aplicado para um grupo de pessoas), podem ser ofertados por empresas que contam com profissionais que, com maior senioridade, podem compartilhar seus conhecimentos aos interessados.

educacao-corporativa-time-

Mercado para uma empresa de consultoria e treinamento no Brasil

Pesquisa realizada em 2019 pela Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD), com 533 empresas participantes, identificou que 50% do investimento total em Treinamento e Desenvolvimento estão focados nas lideranças, e o setor que investe mais é o da Indústria (que apresentou R$754 investidos por colaborador). É interessante perceber que as empresas contrataram em 2019, em média, 15 horas de treinamento por colaborador.

Esta é só uma pequena amostra do que é o grande campo de Treinamento e Desenvolvimento. Em geral, grandes empresas tendem a bancar os custos de seus funcionários para atualizações constantes na área em que atuam, o que é crucial para a manutenção da empresa dentro dos padrões mais recentes, com conhecimento afinado com o mercado.

Por outro lado, empresários em geral buscam também estar em dia com as novidades, porque precisam ter consciência da realidade, e muitas vezes sozinho é mais difícil conhecer um panorama geral.

Exemplificando o grande leque de possibilidades, na área jurídica quando há alterações de legislação ou jurisprudência importantes, lá vão os advogados para a sala de aula. Como visto na pesquisa, quem está na indústria também precisa estar consciente das inovações e possibilidades (fala-se até em Indústria 4.0, pense nos conteúdos!). E assim acontece em todos os ramos de conhecimento: a roda está sempre girando, e quem é atuante muitas vezes precisa parar e buscar as informações com aqueles que já o fizeram.

educacao-corporativa-estudando

Como identificar o CNAE de uma empresa de consultoria e treinamento?

O processo para abrir uma empresa de consultoria e treinamento depende muito das atividades que você pretende desempenhar. Se você já tem clareza do escopo da sua atuação, isso vai ajudar na escolha dos CNAEs (Classificação Nacional de Atividades Econômicas). É a partir do CNAE que você vai saber o que terá que pagar de impostos, taxas e contribuições para União, Estado e Município.

Para Treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial, por exemplo, você poderá utilizar o CNAE 8599-6/04 (atividades de treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial). Esta atividade pode ser incluída no Simples Nacional e é apenas um exemplo de CNAE possível para Consultoria e Treinamento. Com clareza do que você vai realizar e com a ajuda de um bom contador, e com o auxílio do Consultor de CNAEs exclusivo da Contabilizei, tudo fica bem mais fácil.

A definição do CNAE é importante para dar transparência aos serviços que sua empresa vai prestar e para que você pague os impostos devidos – nem mais nem menos.

4 passos para abrir uma empresa de consultoria e treinamento

1. Formular um plano de negócio

A primeira etapa para abrir uma empresa de consultoria e treinamento é justamente fazer o Plano de Negócios: responder diversas questões sobre o que é a empresa e como ela funcionará para que seja possível torná-la realidade.

Se você está realmente decidido que uma empresa de treinamento é o seu caminho, comece já um Plano de Negócios. Nós sabemos, você já ouviu muitas pessoas falando sobre o assunto, inclusive outros textos aqui da Contabilizei (!), mas vamos voltar a essa conversa.

A principal finalidade do Plano de Negócios é ajudar você a responder algumas perguntas que irão aparecer, cedo ou tarde, no caminho da sua nova empresa.

Além de definir nome, sócios, percentuais de Contrato Social, tipo de empresa – e outros itens práticos – você também poderá imaginar (isso mesmo, como um sonhador direcionado) como acontecerão as atividades e como resolver problemas que certamente farão parte do seu sonho.

Por exemplo, onde acontecerão os treinamentos? É preciso local próprio ou será alugado? O valor dos cursos está considerando os custos com o aluguel e outros custos fixos? A remuneração será atrativa, fechando esta matemática?

É esse tipo de pergunta que você deve responder agora – buscando ser o mais realista e honesto possível.

2. Obter um CNPJ e formalizar sua empresa

Com as informações muito claras, é hora de fazer a efetiva abertura do negócio. Para isso, você terá de realizar algumas etapas – dando satisfação das atividades pretendidas para os Governos Federal, Estadual e Municipal. Pode não ser fácil realizar essa etapa sozinho – então o ideal é contar com um serviço de contabilidade conhecedor do processo de abertura de empresas.

Para saber como abrir uma empresa de treinamento profissional, uma das principais decisões que se deve tomar é se será uma empresa com diversos sócios ou de sócio único – isso lhe ajudará a definir o tipo de empresa.

O menor tipo de empresa para treinamento é o MEI – Microempreendedor Individual. Este tipo de empresa foi criado para desburocratizar a abertura de empresas mais simples, e tem algumas vantagens bem como restrições. O faturamento pode ser de até R$81 mil ao ano, e é uma empresa de sócio único. Este profissional que se torna MEI tem direito aos benefícios sociais, como aposentadoria ou licença-saúde.

Há outros tipos de empresa com somente um sócio, como a EIRELI – Empresa Individual de Responsabilidade Limitada, ou a opção para uma empresa com mais de um sócio, que seria a LTDA – Sociedade Limitada. 

É importante conhecer todos os detalhes do que você irá oferecer e buscar ajuda para encontrar o melhor modelo de formalização – pensando justamente em contrabalancear vantagens e desvantagens, especialmente no que se refere à tributação.

3. Estruturar recursos e equipe

Feita a legalização das suas atividades, é hora de colocar em prática o que está no seu plano: contrate tanto o local quanto as pessoas que você precisará para auxiliá-lo, talvez até outros facilitadores para atuar nos treinamentos. 

Levando em conta o que você pensou no planejamento da empresa, agora é hora de encontrar a melhor forma de fazer acontecer o seu negócio. A estrutura básica para os treinamentos é justamente uma sala de aula onde você possa agrupar as pessoas que participarão da atividade – ou até mesmo o software onde as pessoas se conectarão com você para assistir ao curso on-line.

Se é necessário espaço físico, é muito comum que a empresa que está contratando seu curso possa disponibilizar uma sala dentro da própria companhia para que o curso aconteça – evitando que os funcionários precisem se deslocar e perder mais horas de trabalho (o que seria um curso in company). Por outro lado, com a grande virada digital que aconteceu durante a Pandemia do novo Coronavírus, muita gente passou a aceitar que um curso on-line pode ser tão eficiente quanto o presencial (é claro, desde que com um bom instrutor).

Para que as coisas funcionem corretamente, identifique quais profissionais você precisará para apoio às atividades da empresa. Embora a modernidade dos negócios permita a atuação com equipes cada vez mais enxutas, não é bom sobrecarregar-se com todas as atividades. Pense em quais áreas do negócio você é mais forte, e deixe essas consigo. Avalie pontos fracos e pense em contratar, ou mesmo fazer parcerias, para dar conta desses itens com eficiência.

educaco-empresa-duas-pessoas

4. Definir a estratégia de Marketing e Vendas

Faça a divulgação dos cursos que você tem em mente, busque clientes para consultoria, identifique possíveis parcerias interessantes para seu negócio e vá em frente.

Muitas empresas são abertas para atender a um cliente já conquistado – o que é muito legal mas não deve ser um freio para o desenvolvimento do negócio. Se você investir no marketing da sua empresa para que outros clientes também possam conhecê-la, isso pode render bons frutos. 

Hoje em dia não é necessário fazer um grande investimento em campanhas: se você investir no marketing digital, pode até mesmo fazer parte do trabalho sozinho (conforme o seu grau de conhecimentos). Avalie se é necessário contratar um apoio – isso também não custa tão caro e o importante é fazer as ações bem feitas para ter os resultados esperados.

Guilherme Soares

Escrito por:

Guilherme Soares

Guilherme é engenheiro formado pela Universidade de São Paulo com mestrado em administração de empresas pela London Business School. Guilherme atuou como consultor de estratégia de negócios na Bain & Company e liderou áreas de estratégia comercial e produtos na Latam Airlines Cargo e Cielo. Iniciou na Contabilizei em 2018.

Deixe um comentário

avatar