Calculadora Salário CLT x PJ

Nosso cálculo irá te auxiliar na tomada de decisão sobre o melhor regime de contratação para você. Compare entre o salário líquido CLT x PJ, descontos e impostos.

CLT x PJ
PJ x Autônomo

Calculadora PJ x CLT

Preencha abaixo para fazer o cálculo:

Entenda as diferenças entre CLT x PJ

Saber quais são as diferenças e particularidades entre os dois modelos de contratação é de extrema importância na hora de definir qual caminho tomar. É comum surgir a pergunta: CLT ou PJ: o que vale mais a pena?

Para responder, é preciso avaliar uma série de fatores, como seu perfil profissional, área de atuação, objetivos e remuneração. Deve ponderar também os impactos no seu modo de trabalho, suas responsabilidades financeiras e seus direitos trabalhistas, além de entender exatamente qual é o seu salário bruto e líquido, o que é possível saber em nossa Calculadora de Salário Líquido

Contratação keyboard_arrow_down

Como é feita a contratação CLT?

Para que a contratação CLT seja realizada, é necessário que a empresa contratante firme um acordo com profissional seguindo as normas celetistas, que envolvem uma série de procedimentos e custos.

Entre as obrigações e burocracias estão a separação de todos os documentos solicitados, assinatura da carteira de trabalho e exame admissional. Fechado o vínculo empregatício, o profissional contratado passará a trabalhar com direitos garantidos por lei e deveres conforme as regras da CLT.

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) foi criada em 1943 com o objetivo de regulamentar essas relações de trabalho no Brasil e proteger, sobretudo, os profissionais contratados.

Como é feita a contratação PJ?

Fechar um contrato como PJ é bem diferente da contratação CLT. No caso da Pessoa Jurídica, não existe vínculo trabalhista, assim como direitos e deveres são distintos.

Para começar, o profissional que deseja trabalhar como PJ precisa abrir uma empresa. A primeira grande diferença em relação à CLT é que o acordo entre empresa contratante e profissional não é registrado em carteira. Ambas as partes assinam um contrato que estabelece uma relação para prestação de serviço, na qual não se pode mencionar situações como horário de trabalho.

Ao contrário da CLT, o pagamento pelo trabalho realizado é feito de forma integral, ou seja, sem qualquer tipo de desconto. Em contrapartida, o profissional não tem os mesmos benefícios garantidos por lei na CLT, a não ser que seja acordado no momento da assinatura do contrato. Além disso, deve se programar financeiramente para pagar os impostos.

Obrigações keyboard_arrow_down

Quais as obrigações do trabalhador em cada modelo de trabalho?

CLT
  • Cumprir a jornada de trabalho prevista em lei;
  • Trabalhar somente para a empresa que consta registrada na carteira;
  • Fazer exames médicos obrigatórios;
  • Não faltar ao trabalho sem aviso prévio.
PJ
  • Abrir CNPJ;
  • Ter um escritório de contabilidade para apurar e registrar os impostos;
  • Emitir notas fiscais;
  • Pagar os impostos mensalmente;
  • Cumprir com o que foi acordado em contrato.
Direitos keyboard_arrow_down

Direitos

CLT
  • Carteira de trabalho assinada pelo empregador
  • Férias remuneradas
  • Adicional por hora extra
  • Licença-maternidade
  • Seguro-desemprego em caso de demissão
  • FGTS
  • INSS
  • 13º salário
  • Jornada de trabalho de até 44h semanais
PJ
  • Benefícios previdenciários (auxílio-maternidade, aposentadoria e etc.)
  • Emissão de Nota Fiscal
  • Contratação de um funcionário pelo salário mínimo da categoria
Diferenças keyboard_arrow_down

CLT x PJ: quais as diferenças entre os contratos?

Para fazer uma escolha entre CLT e PJ, é preciso, primeiro, entender as suas características e diferenças. Ambas possuem os seus pontos positivos e negativos. Abaixo, nós elencamos as cinco principais distinções entre esses dois regimes de contratação.

Na CLT, o vínculo empregatício é efetivado com a assinatura na carteira de trabalho, enquanto na contratação PJ, o acordo é firmado em um contrato de prestação de serviço.
O PJ recebe a remuneração sem descontos, mas não possui muitos direitos assegurados e deve pagar impostos de acordo com porte da empresa, faturamento e atividade exercida. Já o CLT tem diversos benefícios garantidos por lei, porém, seu salário vem com diversos descontos.
O CLT pode trabalhar apenas em uma empresa. O PJ, por sua vez, pode prestar serviço para diversos clientes.
Quem trabalha como PJ possui uma rotina mais flexível, podendo estipular seus horários e cumprir o que foi combinado em contrato. Por outro lado, o CLT precisa cumprir a jornada de trabalho prevista em lei.
PJ costuma ter propostas de remuneração mais altas, já que a empresa contratante não precisa pagar os encargos da CLT que vão além do salário.

Confira nossos planos

EMPRESAS DE SERVIÇO
EMPRESAS DE COMÉRCIO
CLT
PJ

Quais são os descontos em folha de pagamento CLT?

Profissionais que trabalham sob o regime CLT possuem diversos descontos na folha de pagamento, das mais variadas categorias, como os facultativos, benefícios e aqueles que são obrigatórios por lei. Entre esses últimos estão:

INSS (Previdência Social);
IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte).

Esses dois descontos são exigidos para todos os profissionais contratados por uma empresa pela CLT e abatidos do salário bruto. Para descobrir o salário líquido, será sempre necessário considerar esses abatimentos.

A folha de pagamento pode ter muitos outros descontos, como vale-alimentação, vale-refeição, vale-transporte, plano de saúde, plano odontológico, contribuição sindical, seguro de vida, entre outros. Porém, nesse caso, as condições variam entre as empresas.

Quais os custos da contratação CLT para o contratante?

Uma empresa que contrata um profissional sob o regime da CLT não ficará apenas com a responsabilidade de pagar o salário. Será necessário também arcar com outros valores que vão além da remuneração.

O custo de um funcionário para a empresa pode chegar a até três vezes o salário do profissional, conforme indicou uma pesquisa feita pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e CNI (Confederação Nacional da Indústria). É preciso considerar obrigações como:

FGTS;
Contribuições sociais;
Férias;
13º salário;
Outros benefícios, como vale-transporte, plano de saúde e vale-refeição.

Soma-se a isso ainda as indenizações em função de possível demissão, com valores a pagar conforme estipula a lei.

Considerações importantes sobre a calculadora CLT x PJ

  • Para a modalidade de pessoa jurídica, quando você trabalha com um CNPJ, a calculadora PJ está considerando o regime tributário do Simples Nacional, anexo 3, com alíquotas de imposto sobre faturamento entre 6% e 33%. É preciso levar em conta que nem todas as atividades de atuação permitem enquadramento no anexo 3.
  • Para chegar ao valor das alíquotas, foi simulado um faturamento anual a partir do salário mensal, multiplicando o valor por 12. Faturamentos acima de R$ 4.800.000 ao ano não fazem parte do regime Simples Nacional, não sendo atendidos pela calculadora.
  • Ainda na categoria pessoa jurídica, é simulado um pró-labore no valor de 28% do salário bruto, ou um valor de R$ 1.100,00 para os casos onde os 28% não atingem o salário mínimo.
  • Sobre o pró-labore é calculado o INSS de 11% com teto de R$ 6.433,57, alíquota válida para empresas no Simples Nacional. Nesse caso não há recolhimento do INSS patronal. Também é calculado o Imposto de Renda, variável de acordo com a tabela do IR de rendimento mensal.
  • Para o serviço de contador, foi usado como base o valor do plano Básico da Contabilizei, de R$ 109 ao mês. Os planos mensais variam de R$ 109 a R$ 309.
  • Quando trabalhamos com carteira assinada, na modalidade CLT, recebemos diversos benefícios além de nosso salário mensal, como: férias, décimo terceiro salário, FGTS, vale transporte, vale refeição, etc. Alguns destes benefícios podem ter um valor de desconto em nosso holerite mensal e outros acabam sendo considerados integralmente como custo para a empresa que nos contrata. Mensalmente, também possuímos alguns descontos com base em nosso salário, um exemplo é o INSS e o Imposto de Renda. Estes valores são pagos diretamente pelo contratante, mas são descontados em nosso holerite.
  • A calculadora da Contabilizei, considera os benefícios de férias, 13º salário e FGTS, além do salário bruto mensal.
  • No valor do FGTS é utilizada a alíquota padrão de 8%.
  • Sobre o valor do 13º salário incide o INSS e o imposto de renda. O valor final com os descontos foi dividido por 12 meses, para que você possa entender o valor líquido que recebe mensalmente estando contratado na modalidade de CLT.
  • Para o cálculo das férias, foi levado em conta o valor de um terço do salário com dedução de INSS e imposto de renda.
  • Ainda no caso das férias, tanto o valor de imposto de renda quanto de INSS foram obtidos com base na soma de um salário (adiantamento de férias) + 1/3 de salário. Nos dois casos, foi subtraído da soma o valor referente a um mês, uma vez que ele já é apresentado à parte na tabela de explicação do cálculo.
  • Quando a soma dos benefícios ultrapassam os valores de descontos em nosso salário, você perceberá que seu salário líquido mensal será maior que o seu salário bruto. A partir de um determinado valor de salário bruto, os descontos passam a ser maiores do que a soma destes outros recebimentos, o que faz com que seu salário líquido ao final de cada mês seja menor do que seu salário bruto.
  • Para a modalidade autônomo, foi calculado o valor de INSS em 11%, do plano simplificado de contribuição individual, com teto de R$ 6.433,57 no faturamento.
  • Também há contribuição do ISS para autônomos. Para essa modalidade, as alíquotas variam entre 3% e 5%, a depender do município e da atividade. Na calculadora CLT x PJ x Autônomo, foi simulado o valor de 5%.
  • O cálculo para autônomos também leva em conta o pagamento do imposto de renda variável de acordo com o ganho bruto.

*As atividades que você vai exercer, a cidade que você se localiza e o regime tributário da empresa contratante e o da sua própria empresa, podem fazer com que os números apresentados variem, então é importante analisar todas essas questões para otimizar ainda mais o seu recebimento líquido no final de cada mês.

Imagem de destaque

CLT x PJ: o que vale mais a pena?

Se você está em dúvida sobre qual regime de contratação é melhor para o seu caso, considere analisar de forma ampla para se chegar a uma definição, pois CLT e PJ possuem as suas particularidades, que envolvem vantagens e desvantagens.

Um dos pontos cruciais é levar em conta o seu perfil profissional. Se você preza por maior liberdade e considera trabalhar em diversas frentes, para vários clientes, expandindo o alcance das suas atividades, PJ é a melhor opção. Se sua área é mais fechada e não permite tais ações, talvez seja melhor reconsiderar e partir para a CLT.

Sua remuneração também deve ser levada em conta. Você se planeja bem financeiramente e visa ter um salário maior? PJ pode ser o caminho. Já se você preza por certa estabilidade e deseja o máximo de benefícios, é bem provável que se dê melhor com a CLT.

Considere também o seu momento profissional, suas metas, seu modo de trabalhar, as oportunidades de mercado e suas perspectivas de crescimento para chegar a uma conclusão. Pode não ser fácil, mas ao analisar esses fatores ficará muito mais fácil decidir.

Benefícios CLT

  • Valores diferenciados para hora-extra (tanto para banco de horas quanto as pagas);
  • Possibilidade de dias nãos trabalhados com atestado médico;
  • Dispensa em caso de nascimento de filho(a) e/ou morte de familiar de primeiro grau.

Benefícios PJ

  • Maior flexibilidade quanto ao horário de trabalho;
  • Flexibilidade quanto ao uso dos valores referentes à FGTS, férias e 13º;
  • Salário superior ao negociado com trabalhadores CLT.

Perguntas frequentes

Para saber se vale a pena mudar de CLT para PJ, você precisa levar em consideração diversos fatores.

Entre os benefícios garantidos estão:

carga horária;
salário mínimo;
férias anuais;
segurança e medicina do trabalho;
descanso semanal;
previdência social;
proteção ao trabalho infantil e à mulher.
Carga horária de trabalho PJ não pode ser definida pela empresa.

As empresas não podem obrigar o funcionário PJ a trabalhar oito ou mais horas por dia, se não tiver uma cláusula específica sobre essa questão.

saiba mais: https://www.contabilizei.com.br/contabilidade-online/pejotizacao/
É comum vermos profissionais sendo contratados como Pessoas Jurídicas dentro das empresas. A contratação é, sim, permitida pela lei, mas vale lembrar que se trata da lei civil. É diferente da CLT, que segue inúmeras regras e obrigações próprias definidas pelas leis de trabalho.

saiba mais: https://www.contabilizei.com.br/contabilidade-online/pejotizacao/