Conheça as estratégias de serviços para o mercado local

| Atualizado em 28/04/21 | 9 minutos de leitura

A economia voltou-se para o mercado local, devido a uma série de fatores como a necessidade de quarentena resultante da quarentena exigida pelo coronavírus. Com isso, mais e mais pessoas passaram a buscar o que estava próximo e acessível.

Seja por segurança, conveniência, ou até mesmo por uma questão econômica, os estabelecimentos locais estão recuperando o espaço onde deveria fazer todo o sentido: localmente.

Com todas as medidas preventivas adotadas para evitar o aumento de casos de covid-19 no país, conveniência passou a ser a palavra-chave para as pessoas que buscam continuar consumindo seus melhores produtos e serviços, mas sem que para isso precisem se locomover por grandes distâncias, ou ainda, recorrer a transportes compartilhados.

E é exatamente para esse tipo de cliente que os pequenos negócios representam uma grande vantagem competitiva.

Empresas globais, ou até mesmo as que investem na comercialização por vias digitais, normalmente desembolsam altos valores para se destacarem nos serviços de busca como o google, ou até mesmo em redes sociais como o facebook.

Mas, tratando-se de empresas locais, cujo público está bastante próximo, quais seriam as melhores estratégias de serviços para atingir o mercado local ou bairro? Abordaremos isso e muito mais neste artigo.

servicos-locais-venda

Pequenos negócios estão proporcionando experiências cada vez mais exclusivas a áreas restritas

As lojas virtuais e sites são imbatíveis, é possível cadastrar basicamente qualquer produto nelas, assim como oferecer qualquer serviço sem que a empresa nem mesmo tenha o estoque ou possa oferecer aquilo imediatamente.

Isso é possível graças aos planejamentos envolvendo a logística para essas vendas online e suas entregas.

Sendo assim, qual a vantagem competitiva imediata das empresas que oferecem produtos e serviços locais? A disponibilidade.

Diferente de uma loja virtual, os produtos de uma loja física normalmente precisam estar presentes de maneira imediata, ou a opção online passa a tornar-se novamente interessante, já que pode oferecer preços mais competitivos.

No caso de serviços, a situação não é diferente. Pense em um estúdio de massagem, por exemplo, talvez você não consiga agenda para o mesmo dia ou nem mesmo a mesma semana, mas toda a estrutura, a experiência e até mesmo os profissionais estarão por lá para que você tenha uma noção do que está contratando.

Dito isso, é uma tendência que a estratégia de serviços para mercado local tornem-se cada vez mais nichadas ao oferecer como diferencial competitivo a experiência imediata de algo pelo qual as pessoas tem um grande desejo.

Isso é válido para serviços especializados, principalmente, já que em geral as lojas de conveniência sempre atenderam os consumidores locais por tratarem de necessidades realmente imediatas, como por exemplo a falta de pilhas para um controle remoto – dificilmente o consumidor vai esperar dias para receber em casa.

Essas estratégias tornam-se mais evidentes a partir do momento em que passamos a compreender melhor o ecossistema empreendedor, que busca atender as necessidades de locais para o desenvolvimento de negócios e compreende todos os stakeholders envolvidos no processo.

Dentre as vantagens desse modelo de negócio está também o favorecimento da economia local, o que acaba impactando diretamente e positivamente todo o ambiente no qual está inserido.

Como se posicionar nesse mercado em diferentes tipos de negócios?

Indo mais a fundo na temática de estratégias para serviços locais, devemos destacar todas as vantagens e desvantagens do modelo de negócios, para começar, o marketing local tem diversas vantagens como a possibilidade de recorrência e fidelização, custos reduzidos e também o possível tráfego orgânico (boca a boca).

Por outro lado, ele também pode trazer insatisfação quando o assunto é escalabilidade. Ao não ser que a empresa possua sede em outros lugares, ela sempre estará condicionada a atender o mesmo público, sendo que todas as perdas no processo – por concorrência, por exemplo, podem afetar com certo impacto o negócio.

A questão do público pode ser reduzida quando estamos falando de cidades e bairros turísticos, por exemplo, mas os mesmos também estão sujeitos a outros impactos como a baixa temporada e o fato de não serem focados na comunidade local.

Confira a seguir algumas dicas que podem potencializar o marketing local:

1. Foque no seu nicho e no seu público-alvo

Um erro bastante comum em relação aos serviços para o mercado local pode envolver a tentativa de escalabilidade ao buscar oferecer mais coisas (mesmo que não estejam relacionadas) ao máximo de pessoas possíveis.
Mas, lembre-se que no caso de serviços locais, muitas pessoas buscam uma empresa pela disponibilidade, mas também por acreditar naquilo que somente ela pode oferecer, então ao invés de focar em mais serviços e pessoas, busquem atender melhor o seu público-alvo.

A definição desse público é essencial em toda estratégia de marketing, sem saber quem você busca atingir, é impossível definir metas e métricas capazes de mensurar o sucesso da estratégia.

Não tem como atender todo mundo.

servicos-locais-entrega

2. Priorize os principais clientes

Novamente pensando em um público-alvo, priorize quem tem mais chances de desejar e comprar os serviços oferecidos pela sua empresa, por mais que ao longo do tempo seja possível identificar oportunidades, lembre-se que a sua prioridade sempre vai ser a sua estratégia mais importante.

É preciso garantir a satisfação de seus clientes antes mesmo de iniciar a busca por novos.

3. Utilize ferramentas de marketing digital

Não é porque o seu negócio é local que você deve privar-se de tecnologias, pelo contrário, use e abuse de serviços que oferecem métricas necessárias para a criação de estratégias, além de redes de relacionamento e fidelização com o cliente.

4. Geomarketing ao seu favor

Dentre as ferramentas digitais, talvez uma das mais importantes seja a de geomarketing. A partir desta estratégia, é possível alcançar o seu público-alvo no momento ideal. Imagine, por exemplo, que os seus serviços de massagem possam chegar em alguém próximo ao seu estúdio depois de um longo dia de trabalho?

5. Esteja atento a oportunidades

Embora o seu público seja local, a conectividade existe para todos e é de extrema importância que você acompanhe outros estabelecimentos do mesmo setor, assim como as novidades de seu mercado de atuação.

Os clientes podem, por exemplo, descobrir novidades tecnológicas na televisão ou algum site de notícias e buscar a mesma em seu estabelecimento, que caso não possua ou pior, não tenha conhecimento sobre o tema, pode abrir brechas para a quebra de localidade, já que o cliente pode buscar a novidade em locais mais distantes (como em cidades próximas).

Qual o perfil dos bairros / cidades que mais impulsionam os pequenos negócios?

O perfil dos bairros e cidades que impulsionam os pequenos negócios envolvem cenários em que os grandes prestadores de serviços ou varejistas não oferecem um fácil acesso ao que oferecem, seja economicamente ou geograficamente.

Podemos citar, como exemplo, as comunidades e periferias urbanas, que representam grande desafio de acessibilidade para grandes marcas e dependem muito do comércio local para atender seus moradores.

Essa lógica vale para bairros mais afastados do centro também, assim como pequenas cidades que podem não conter grandes centros comerciais e de serviços, como no caso de um shopping center.

Segundo a revista EXAME, os aspectos mais relevantes para os consumidores em relação aos negócios e bairro durante a pandemia envolvem a possibilidade de frequentar locais menos aglomerados (60,2%), a proximidade com sua residência (59,6%) a acessibilidade dos preços (53,3%), e por fim a preocupação com medidas sanitárias.

Esse ecossistema, além de atender melhor a própria comunidade, serve para gerar empregos e realidades mais justas (evitar, por exemplo, que um funcionário passe horas no transporte público para trabalhar em outra cidade ou centro).

servicos-locais-geolocalizacao

Empreendimentos que podem (e devem) ser locais sem perder escala e faturamento?

Existem empreendimentos que dependem muito da presença local para funcionar e isso não os impede de escalar e faturar durante o processo.

Podemos mencionar, por exemplo, supermercados e serviços de venda e distribuição de gás, já que o acesso a locais de compra é algo importante, que dificilmente funcionam quando não são considerados opções locais e por sua essencialidade possuem menos chances de serem taxados como de baixa escalabilidade ou faturamento.

Embora muita gente já consuma online, alguns empreendimentos, como lojas de roupas, também podem ser beneficiadas em faturamento e escala, pois oferecem a experiência de provar as peças escolhidas. Novamente, a experiência como diferencial competitivo.

O setor alimentício também é muito aquecido nos mercados locais, pois as pessoas tendem a querer comer fora ou até mesmo pedir comida em ocasiões especiais, sendo óbvio que ninguém pode esperar dias por isso.

Aproveitando o tema, o próprio serviço de entregas locais precisa envolver uma pessoa local – seja pela legalidade da função, como também pela necessidade imediata demandada por essa solução.

Outro negócio que também poderia ser considerado essencialmente local, são as academias, já que as pessoas buscam a praticidade na rotina e por isso precisam de lugares próximos a sua já demandada rotina.

Com tudo isso em mente, fica fácil entender que empreender não é sobre a melhor ideia, o melhor local ou nicho, mas sim sobre tudo isso e mais algumas coisas, sendo necessário um amplo conhecimento de mercado para entregar ao bairro ou cidade aquilo que eles realmente precisam.

Quer ajuda para abrir uma empresa ou ter um CNPJ?

A Contabilizei é líder em abertura de empresas, deixe seus dados e nossos especialistas entrarão em contato.





TUDO CERTO!

Recebemos suas informações, logo nossos especialistas entrarão em contato.

Guilherme Soares

Escrito por:

Guilherme Soares

Guilherme é engenheiro formado pela Universidade de São Paulo com mestrado em administração de empresas pela London Business School. Guilherme atuou como consultor de estratégia de negócios na Bain & Company e liderou áreas de estratégia comercial e produtos na Latam Airlines Cargo e Cielo. Iniciou na Contabilizei em 2018.

Deixe um comentário

avatar